Marketplaces: O que são e como podem potenciar o seu negócio

Não se pode dizer que seja uma realidade nova mas tem, sem dúvida, registado um crescimento nos últimos meses, sobretudo se pensarmos na realidade portuguesa. Marcas como a FNAC, a Worten e o KuantoKusta apostaram neste tipo de plataformas e, mais recentemente, foi a vez da Sonae e dos CTT se juntarem à lista de marketplaces já existentes no mercado com o Dott. 

Mas o que é, então, um marketplace? Marketplace remete-nos para um conceito coletivo de vendas, sendo uma espécie de shopping online no qual é possível encontrar diversas categorias de produto e várias marcas que disponibilizam os seus produtos. No fundo, é como se fosse um centro comercial mas num universo digital, sem espaço físico. Os marketplaces colocam ao dispor dos consumidores uma grande quantidade de produtos de várias lojas num único local (neste caso, num único website). 

Um marketplace distingue-se de um site de e-commerce (pode reler aqui o nosso artigo sobre e-commerce) na medida em que, no caso dos sites de e-commerce, nós entramos na loja virtual da marca e compramos um produto que é vendido e enviado por essa mesma marca – por exemplo, vamos ao site do El Corte Inglés e compramos uns ténis. Num marketplace entramos num site que pertence a uma empresa mas o produto que compramos é vendido e enviado por outra loja – por exemplo, vamos ao KuantoKusta e compramos uns ténis que são vendidos e expedidos pelo El Corte Inglés. 

Benefícios dos Marketplaces

Para os consumidores, um marketplace significa mais comodidade, uma vez que estes têm a possibilidade de ver ofertas de várias empresas e comparar preços e produtos numa única plataforma. Além disso, ao adquirirem produtos de diferentes fornecedores, efetuam um pagamento único, ao invés de passarem por múltiplos processos de pagamento em vários sites. 

Para os vendedores, as vantagens associadas à presença num marketplace também são consideráveis: 

  • Visibilidade: as empresas obtêm maior divulgação e notoriedade, conseguindo alcançar potenciais clientes que poderiam não conhecer os seus produtos por outra via nem chegar diretamente à sua loja. Além disso, podem conseguir atingir pessoas que iam à procura de outros produtos mas que, por acaso, viram os seus e ficaram interessados (tal como acontece num shopping convencional). 
  • Diversificação dos canais de venda: um marketplace é um recurso útil para as empresas alavancarem as suas vendas na Internet, uma vez que constitui um canal adicional através do qual é possível fazer chegar os produtos aos consumidores. Este novo canal pode ter um impacto significativo no volume de vendas e de faturação. 
  • Investimento reduzido: existe uma certa facilidade de entrada nestas plataformas e, geralmente, sem custos fixos associados (são apenas cobradas comissões por cada transação). Adicionalmente, vender num marketplace afasta custos relacionados com desenvolvimentos informáticos – uma vez que a loja virtual e todos os processos inerentes já estão montados – e não exige tantos esforços com marketing e publicidade.
  • Possibilidade de internacionalização do negócio: um marketplace pode ser uma forma relativamente simples de comercializar os produtos para qualquer parte do mundo, como é o caso de vender na Amazon, por exemplo. 

Têm sido atribuídas, igualmente, algumas desvantagens aos marketplaces, que estão relacionadas com o facto de os produtos serem disponibilizados por inúmeros fornecedores. Isso faz com que, muitas vezes, a informação dos produtos não seja comparável e os prazos de entrega variem muito entre si, o que pode resultar numa má experiência para os utilizadores.

Ainda assim, as potencialidades de estar presente num marketplace são significativas e não devem ser descuradas do ponto de vista da visibilidade e lucratividade que podem representar para as empresas.

Nesse sentido, caso pretenda saber mais sobre a venda de produtos num marketplace, não hesite em contactar-nos!

%d bloggers like this: